Está na hora da brincadeira! Com ou sem tecnologia?

A maioria das pessoas não consegue imaginar a vida de hoje sem o uso das tecnologias eletrônicas. Energia elétrica, televisões, celulares, smartfones, notebook, tablets e internet! Será que realmente conseguimos analisar rapidamente toda essa influência em nosso cotidiano?

Todo o trabalho e as formas de manutenção da sociedade estão pautadas na utilização das ferramentas tecnológicas, com as quais foram possíveis diversos avanços (acredito que possamos assim chamar) da humanidade. Mas todo esse avanço pode ter um preço. A tecnologia que é utilizada para facilitar nossa vida e trazer comodidade, em excesso, pode causar danos principalmente às crianças.

↳ A tecnologia eletrônica tem seus benefícios, mas pode ser uma verdadeira vilã no desenvolvimento da criança.

↳ A tecnologia eletrônica tem seus benefícios, mas pode ser uma verdadeira vilã no desenvolvimento da criança.

Coisas tecnológicas são muito atrativas para os pequenos. Há todo um universo de jogos e entretenimento muito sedutor, e principalmente nos grandes centros urbanos, as crianças nascem e crescem dentro de casas e apartamentos, com menor possibilidade de interação com o ambiente que a rodeia. Com isso, acabamos perdendo espaço para as brincadeiras infantis tradicionais, as crianças deixam de correr, pular, imaginar. Tais brincadeiras são capazes de desenvolver a coordenação motora, noção espacial, fantasia, criatividade e sociabilidade, muito necessárias para o desenvolvimento infantil, “a brincadeira pressupõe uma aprendizagem social. Aprende-se a brincar”. [1]

Sites diversos já declaram a posição de alguns pesquisadores contra o uso das tecnologias pelas crianças, como é o caso do www.zonein.ca apontando diversos problemas relacionados ao excesso de exposição à tecnologia como: obesidade infantil, atraso no desenvolvimento, agressividade, ansiedade, depressão, déficit de atenção e dificuldades de aprendizagem.

Da mesma forma que existem as pesquisas contra a exposição, também há muitos defensores do uso da tecnologia com as crianças, como forma de desenvolvimento da aprendizagem, porém é necessário fazer uma análise sobre os prós e contras desta exposição.

Em uma coisa podemos concordar: as tecnologias são bem recentes em nossa vida e talvez seja cedo para as pesquisas apontarem com exatidão se existem grandes riscos no desenvolvimento das crianças. O que podemos fazer, enquanto educadores e pais? Utilizar os recursos com moderação e não esquecer: crianças devem brincar e fantasiar no universo das crianças, por isso é muito importante priorizar as histórias, as leituras de livros, a diversão, a liberdade, a naturalidade, ser de fato criança!

[1] BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. 3ª ed. São Paulo. Cortez, 2000

……………………………………………………………………………………………………………………..
Para saber mais:
http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=105
http://globotv.globo.com/tv-morena/bom-dia-ms/v/tecnologia-pode-atrapalhar-na-qualidade-da-escrita-das-criancas/3274701
http://redeglobo.globo.com/rpctv/noticia/2014/02/quais-sao-os-limites-da-tecnologia-no-cotidiano-das-nossas-criancas.html
http://vejasp.abril.com.br/materia/criancas-tecnologia

Referências:
– BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. 3ª ed. São Paulo. Cortez, 2000.
– WAJSKOP, Gisela. Brincar na pré-escola. 5ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.
http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2014/04/uso-de-tecnologia-por-criancas-menores-de-2-anos-triplica-nos-eua.html
http://antesqueelescrescam.com/2014/03/11/10-razoes-para-se-proibir-tecnologia-para-criancas
http://www.zonein.ca
…………………………………………………………………………………………………………………….

Mariana Ricatieri é psicopedagoga, acredita na Arte e na Educação como possibilidade de construção da conscientização social, respeito às diferenças e cuidado com o planeta. É vegetariana, amante da natureza e animais, adoradora de livros e artes visuais. Leia mais publicações dela »

Escreva seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *